terça-feira, 10 de abril de 2018

Endereço para Escrever uma Carta para o Presidente Lula. Já postei a minha Carta hoje!

Envie para:

DIRETÓRIO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES
a/c Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Alameda Princesa Izabel, 160 - São Francisco, Curitiba - PR, CEP 80410-110




Postei hoje a minha carta:
Olá Eterno Presidente Lula,

Que Deus e os Espíritos de Luz estejam contigo em todos os momentos, principalmente neste triste e injusto momento. Desejos muito de que estejas com saúde e em paz no Espírito.

Eu escreveria de próprio punho se minha letra não fosse tão ilegível, me desculpe.

Chorei muito no dia que decretaram nossa prisão. Chorei sozinho tendo Deus e os Espíritos que me acompanham como testemunhas. É algo inaceitável.

Então vi a multidão em São Bernardo do Campo. Vi meus irmãos reunidos em torno de nosso Líder. Vi a sabedoria agindo de forma histórica e foi neste momento que senti na alma a bondade de Deus aliviando meu sofrimento e o sofrimento de milhões de Brasileiros. Foi neste momento que fui percebendo a importância de passarmos por isso. A tortura de mais de 40 anos chegava ao fim. Nosso Líder ia pra cadeia por cometer o crime de implementar a justiça social e fazer que a política solidária se tornasse uma referência para ser seguida por outros países em desenvolvimento através dos BRICs. Sim, é por isso que nosso Lula está preso. Por este crime monstruoso de trazer esperança aos povos mais pobres de todo o planeta Terra.

Presidente, meu nome é Miguel de Arraes, Leonel de Brizola e Santos de meu Pai. Talvez o Santos seja de todos os Santos filhos de ninguém que sofre a barbárie milenar da desumanidade social. Meu Pai, Lourival Lourenço, era Líder rural no interior de São Paulo, Castilho, fazenda Primavera, em 1964. Na semana do golpe Ele ouvia no rádio Brizola e Arraes, Govenador do Rio grande do Sul e Pernambuco, discursarem em hora intermináveis contra o golpe militar que se aproximava. Foi neste momento que minha mãe deu a luz, 26 de março de 1964. Eu nasci e meu Pai foi logo me nomeando Miguel Leonel dos Santos. Por ironia do destino, 25 anos depois contrariei meu Pai e apoiei Lula ao invés de Brizola. Confesso que as vezes me arrependo deste voto porque hoje fico na dúvida se não era a vez de Brizola ser Presidente e Ele poderia nos livrar deste império de mal chamado Rede Globo. Digo as vezes porque também sei que talvez a Rede Globo tenha que ter existido neste tempo todo porque cabe a cada cidadão o direito de trocar de canal e escolher. Talvez a história esteja certa e tudo tivesse que acontecer da forma que aconteceu e hoje pagarmos o preço de ver nosso Líder preso por mentiras disseminadas e assimiladas por parte de nossos irmãos brasileiros.

Estamos diante de um divisor de água na história da humanidade neste planeta. Será que vamos nos auto destruir em ódios ou vamos fazer o amor e a solidariedade vencer?

Tudo isso, Presidente, me faz lembrar quando era membro do grupo de Jovens e de Trabalhadores da Comunidade Eclesial do Profilurb – Projeto Financeiro de Lotes Urbanizados. A Prefeitura de Campinas construiu um cômodo com um banheiro e reuniu diversas favelas de Campinas neste lugar conhecido como bairro “ouro verde”. Realmente nós pobres somos de Ouro e lá construímos umas das Comunidades de Base mais lutadora da Cidade de Campinas.

Foi neste lugar, nesta realidade que conheci Gandhi. Fui ver o filme porque a Agente Pastoral, Zilda Santesco, uma Mulher que dedicava todo seu tempo livre a CEBs do Profilurb nos convidou e bancou o ingresso do cinema e depois pagou até um jantar num restaurante onde conversamos sobre o filme. Imagina um favelado comer carne num restaurante na década de 80. Meu...matei a miséria de anos a fio, risos!

Àquela história do Gandhi mudou a minha vida. Fiquei fascinado por ver aquele indiano magrinho fazer uma revolução pregando a não violência e o amor ao “inimigo” ao qual Ele chamava também de nossos irmãos ingleses. O Cara reunia Grandes multidões e dezenas Deles se ofereciam para a polícia simplesmente descer o cassete sem dó. E isso se repetia tantas vezes que os policiais ficavam com os braços doendo de tanto dar cassetada e derrubar aquelas multidões de Indianos reunidos nas ruas das cidades da Índia.

Gandhi fazia jejum pela Não Violência quando algum ato violento ocorria. Deixou envergonhado todo o Império Inglês. Cansados da própria violência tiveram que negociar a independência da Índia.

É uma história incrível. Conquistar a Independência pregando o amor ao próximo. O amor como forma de seduzir mentes e corações.

Tudo isso me fez ser não só fascinado por Gandhi, mas também a me policiar contra meus pensamentos e atitudes violentas contra nossos irmãos que pensam diferente de nós. Fez-me também entender que a luta por justiça social só pode ser vencida se nossos irmãos passarem a sentir o que sentimos: Amor ao próximo. Creio que esta seja a maior e única Grande revolução que pode transformar a face da Terra num lugar do Universo que poderemos dizer que aqui mora a Humanidade.

Presidente desculpe pela carta longa. Obrigado por me fazer lembrar destas histórias de amor. Que Deus nos ajude a libertar nossas almas porque enquanto o Senhor estiver preso todos nós sentiremos em nossos corações a dor da opressão e da injustiça.

Mandei imprimir uma das belas imagens dos dias de resistência em São Bernardo e ainda te enviarei esta semana.

Que Deus esteja contigo, a Luta Continua. Tenho certeza que a Dona Marisa está num lugar onde os Espíritos Justos e Bondosos chamam de Lar e se reúnem para ajudar os seres incorporados em nosso planeta.


Campinas, 10 de abril de 2018.



______________________________________
Miguel Leonel dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade pra comentar...