sábado, 16 de novembro de 2013

Pensamentos...

Pensamentos em silêncio

não se teatralizam em palavras,

ecoam em sinais pelo vazio e infinito Universo,

navegam sob a prisão do nada,

uma via-gem sem fim,

sem papel, tinta, caneta, objeto qualquer.


Pensamentos...


Névoa, escuridão em tons de luzes,

estrelas,

flocos perdidos nos horizontes.


Sol que se perde, confundindo com um grão de areia numa praia de ilusão

Agora..., ondas em imaginações,

mergulham no seco deserto frio.


Pensamentos...


Rumo ao desconhecido sem ser conhecido,

palavras numa língua indecifrável,

um som que não se ecoa,

perdido, solitário,

privado da liberdade,

vive, morto ao nascer,

esvaindo numa frequência enigmática...



Gislaine Goulart dos Santos e Miguel Leonel dos Santos, novembro de 2013