segunda-feira, 2 de abril de 2012

Próstata..., A Biópsia...

A dias dos 48 anos eu tinha que fazer àquele exame que faz homem tremer em pensamentos. Não é uma coisa doutro mundo, mas pra nós, pobres e preconceituosos, homens, digo humanos, é um grande tabu. 

Ciente que era necessário e inadiável o tal exame de "toque", em janeiro, fui ao Urologista. É desagradável, é verdade, mas dura menos de 10 segundos e, portanto, é rapídissimo e o diagnóstico é imediato.

Embora no tal toque nada tenha sido verificado, no exame de sangue, PSA Sanguíneo, deu uma variação altissima. O numero de referência normal, considerando minha idade, próxima do 50, no exame de sangue, é algo que deve variar entre 0,6 a 2,4 de PSA Sanguíneo. Pois é, pra meu desespero e também do Médico, meu PSA Sanguíneo estava em 12.

É isso aí gente, fiz 48 em 26 de março de 2012. O tempo é uma soma matemática exata de anos que se acumulam desde o dia do nascimento. Considerando o atual avanço da ciência é impossível fugir do tempo, do desgaste dos anos que se foram. Por ora, a humanidade, o espirito, está presa e condenada num espaço de vida/tempo, mundo matérial, limitado. É assim pra mim, é assim pra todos...

Como ia dizendo, o resultado do meu exame de sangue, foi muito acima do normal, não restou outra altenativa, tinha que  fazer uma biópsia pra tirar a tal "prova dos 3"...Se ja era dificil, um enorme tabu, o tal exame de toque, imagine a Biópsia Uretal...

Me sentindo com uma saúde de ferro. Curtindo de montão minha bike e viciado em caminhos e trajetos que envolvem longas subidas, não entendi a circunstância de saúde que se apresentou de forma repentina. Por vezes pensei em não prosseguir no tal checape que tinha iniciado em novembro de 2011. Pensei: "quem procura acha, melhor deixar como tá, em time que tah ganhando naum se meche, toh cheio de saúde, pra quê me preoculpar?".

Os dias foram passando. Noites lindas foram se sucedendo. Luas e estrelas maravilhosas se apresentaram aos meus olhos. Me lembrei de tantos desafios que vivi.  Das jornadas de infância às aventuras e sonhos utópicos da juventude. "É...eu sei que ainda há muito gás pra queimar".

Nas últimas semanas de janeiro até meados de fevereiro tive tempo pra imaginar e relembrar as várias fazes da vida. Lembrei, então, da formosa história da Aguia que aos 40 anos precisa decidir sobre viver mais quarenta anos ou se entregar em meados da durabilidade de sua vida.

Eita, a história da Águia é assim....Após 4 décadas de existência a Aguia, já desgastada com o tempo, fica com o bico podre e às suas asas fracas. Ela voa a uma motanha, se refugia nas alturas dos penhascos e bate seus bicos podres sob as pedras para que caiam. Aguarda por meses que eles nasçam e, assim, com o novo bico, consiga retirar as penas de suas asas para que outras surjam e lhe de a força da juventude para que reine por mais 40 anos... Eis o exemplo de luta pela vida...

A mãe natureza é sabia e nos possibilita o arbitrio da escolha entre o fim e o recomeço de uma nova temporada de vida. De certa forma, me senti nesta encruzilhada e decidi ir fundo na luta pela vida, embora soubesse que tudo poderia ser uma simples neura e nada mais.

Em meados de fevereiro, agendei o dia da Biópsia na Próstata para o dia 01/03, primeiro de março, no Centro Médico de Campinas, em Barão Geraldo. Entre o dia do agendamento e o dia do exame foram cerca de 15 dias de espera. O tempo é um bicho estranho. Numa circunstância desta parece que segundos são horas e dias são anos. É tudo muito lento, parece interminável uma semana.

Se de um lado havia esta anciosidade para que o Mundo girasse mais rapidamente, por outro fui sentindo a imensidão do amor e carinho de minha namorada Gi. Embora ela por vezes tirava umas ondas, ria e brincasse com a circunstância  do exame nada confortável, por quase todo tempo ela se mostrou muito mais próxima e interessada sempre em me animar e cuidar da minha saúde. 

Sim, é muito bom ter alguem que verdadeiramente nos ame. Isso nos fortalece e faz as agonias de alguns momentos se tornarem uma irônia comediana da vida.

 E assim, com amor, aos risos, piadas e brincadeiras o tempo foi passando. Quando dei por mim, lá estava a mercê do tal exame.

O médico me chamou, levantei tranquilamente da cadeira, a Gi me deu um abraço e um beijo adorável, e fui ao encontro do "desconhecido". Deu um frio na barriga, caminhei até o Médico que me perguntou: "Se tava de jejum?" Respondi que sim. Ele me levou a enfermaria e uma enfermeira colocou na veia do meu braço aquele ponto pra recebimento, rápido, de injeções e medicamentos.

Ao chegar no quarto, um local cheio de parafanélhas, eqtos, médicos, do exame, me despi e fiquei a espera do inicio dos procedimentos. A equipe médica formada por uma Enfermeira, bonita por sinal, um anestesista, o Médico responsável e um outro enfermeiro. Todos muitos porfissionais, gentís e solicitos. A enfermeira põe um Soro, o Médico diz "Miguel fique tranquilo, o mais dificil já foi feito, esta agulha em seu braço. Você vai dormir e logo te acordaremos". O anestesista diz que vai aplicar um remédinho no Soro, em segundos me sinto sonolento e, então..., o Médico diz "Miguel acorde, o Exame de Biópsia acabou". Me sinto sonolento e do meu lado, minha namorada, a Gislaine segura e acarícia minhas mãos. Estou meio confuso, meus pensamentos explodem numa única pergunta: "Acabou? Como assim? Resmungo em ton pouco compreensivel pra Gi, "amor, só me lembro do anestesísta dizendo que ía aplicar um remédinho no Soro".

Passaram-se mais 5 minutos, levantei, fui ao banheiro do "quarto", vesti minha roupa, abracei a Gi, dei um beijo e fomos pra casa. No dia seguinte fui trabalhar normalmente e sem dor. Trabalhei tranquilamente em minha poltrona da Secretaria de Pós, como sempre faço e apenas tomei o tradicional Dipirona.

Em 10 dias peguei os resultados do exame e fui ao meu médico Urologista. Tive medo ver os resultados. O Médico sorriu e me disse: "Miguel, vou te dar um presente, seu aniversário foi ontem não é?" Respondi: Sim. Então o médico completou: "Você não tem nada Miguel, seu exame tah normal, volte o ano que vem!"

Fiquei feliz, foi um pesadelo rápido e meu checape foi quase todo positivo. Digo quase porque descobri, em outro exame de sangue, que tenho que tomar remédio pra baixar o Colesterol. Fazer o que né, nínguem é de ferro, rs!

Finalizado o Exame do toque e da Bióspia, a moral da história é que mais vale ter a certeza de sua saúde do que viver com medo ou com preconceitos dos exames. Por mais delicado e desconfortável que seja, é melhor viver com a certeza de que está se cuidando do que ser pego de surpresa com alguma doença. 

Manter a qualidade de vida passa certamente por exames preventivos de saúde.

Vale também dizer que se o Exame de PSA Sanguíneo der um resultado muito fora do normal isto não significa que tenha Câncer, mas apenas que voce tem que fazer uma Biópsia e esta é mais simples do que se imagina. Faça, não tenha medo. É melhor se cuidar.

Outro dado interessante, quem anda muito de bicicleta pode ter um PSA sanguineo muito alto por conta de que o acento da bicicleta faz inchar a Próstata. Neste caso, não se assuste, faça os exames recomendados pelo Médico e descobrirá que nada têm. Importante é se cuidar. 

Esta é a minha experiência, caso queira, deixe um comentário contando a sua e ajude as pessoas a enterrar mitos e a cuidarem da saúde.

2 comentários:

  1. Sua história, além de ser muito informativa, provca uma emoção muito grande, me emcionei muito pela maneira como vc contou a sua história. É uma atitude grandiosa dividir as suas experiências e a sua vontade de viver com as outras passoas. Grande beijo, amor. Vc é meu querido poeta, sou sua fã.

    Gi

    ResponderExcluir
  2. Miguel, amigo Querido! Parabéns por quebrar preconceitos machistas. A saúde está acima de tudo. Bela narrativa, parabéns! Cuide-se.

    Rose

    ResponderExcluir

Fique a vontade pra comentar...