quinta-feira, 17 de março de 2011

Flamboyant florindo em pleno verão, ou outono?

A Sofia me acordou às 6:00, meu Deus! Voz grossa e firme: "Pai, acorda!" Não tive alternativa, cambaleando fui ao banheiro e jorrei uma pancada d'água da torneira, neste momento senti que acordei. Oras, era sexta ou quinta? Quinta é claro! Sofia aqui, ontem foi dia de coral, decidamente, hoje é quinta feira!

Ela recusou o café reforçado, sempre que está em casa há algo bom na geladeira, quiz apenas suco de Ades, o que também tomei.

A coisa mais interessante de acordar cedo é que o dia fica realmente com 24 horas, parece aquele dia que nada acaba, e fica aquela sensação de sono que não acaba, my God!

"Paaiiiii, vamo embora!" Eu preciso me acostumar com este som forte que ela solta. 

A gente saiu, uma brisa fria com se o ar condicionado do tempo tivesse ligado no minimo, então é facil suportar este friozinho gostoso. Ela quase me puxa pelo braço, eu nem sei se tinha acordado mesmo, rs!

Ela gosta da escola, fala bem dos professores, do ambiente, das exaustivas aulas em período integral e conhece a diretora: uma jovem professora que tem um blog com fotos da escola que têm orgulho de dirigir. Sofia está encantada, fiquei meio embasbacado com tudo que ela fala.

E tudo isso rolando bem quando passávamos embaixo do Flamboyant, todo cheio de folhas, que, contrariando sua natureza e tempo, em uma de suas pontas, floria um belo cacho de flôr vermelha, tão forte que ofuscava a luz do sol que brilhava ao fundo do super ladrão... Pensei, profundamente: "a vida prossegue, nem Terremoto, Tsunami póde impedi-la..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade pra comentar...