quinta-feira, 12 de julho de 2007

Fim da censura, ficção é ficção...

Ao encerrar a censura que me impus não só retorno ao objetivo que fixei aqui, mas, principalmente, recupero a fidelidade aos meus propósitos de registrar aqui o que me ocorre, fatos e bobeiras, nesta jornada de dias qua ainda me restam. Ser fiel não é facil, nunca foi, inda mais referente a assuntos tão delicados que nos afetam intimamente. Faço isso também com a consciência de que não se trata de machucar, apenas de registrar e registrando toh tornando este aquilo que imaginei - um espaço de relato. E o relato é o que é...é a transcrição daquilo que criamos, fazemos e, no caso, do que ocorre. Ao fazer isso, estou assegurando que daqui há algumas dezenas de anos, se ainda vivo, possa ver da forma como foi um determinado momento. Portanto, cabe ao relato, inda que comediano, ser o que deve ser: Uma história do que ocorre...seguir este caminho é trilhar os segundos e todos os tempos da forma como irão acontecer, eis o desafio que me propus, eis o percurso a transcrever. Oras, quanto ao sentimento?..., sentimento é apenas o que dá vida e emoções aos fatos, e é deles que se colhem as palavras que fazem todo o sentido, buscando interesses doutros, por fim dando valor, profundidade ao que se escreve e se lê....eis o caminho, é nele que sigo. Nas escolhas, escolho este caminho que me dá a garantia de ver a vida aqui, seja hoje, amanhan ou daqui ao final de todos os meus tempos que restam...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade pra comentar...