quinta-feira, 1 de março de 2007

Duas maçãs fuji

No quarto 93 a sra. do leito ao lado não se conteve: "Vc pode me trazer 02 maçãs fuji?" Posso sim! Volto a noite e vou passar mesmo no Pão de Açucar. Ela, uma mulher negra de certa idade, acabara de se "hospedar" no quarto 93 do Centro Médico. Antes de sair para a cantina a Helena se aproximou do leito da sra. e disse que estava sangrando próximo do pé dela. Avisamos a Enfermeira, nem me recordo o nome, também não importa muito pois todas são tão prestativas e atenciosas que mais parecem anjos da recuperação. Nestas 05 ou 06 internações tenho conhecido tantas parceiras de dor da Helena nos quartos do hospital que não me lembro mais o nome de todas. A Dona Tereza era uma graça, no meio das dores todas jamais perdia o bom humor, sempre conversadeira e foi a primeira pessoa internada que conheci e que me pediu para trazer uma barra de chocolate de uma marca e especificação que já não me lembro. É interessante como uma coisinha simples, como ter como comprar uma determinada comida, é importante pra quem se encontra enfermo. A gente só tem noção mesmo quando se está diante do fato. A última foi a Eleunilde, uma mulher jovem, de uns 35 anos que tem 03 filhos sendo um casal de gêmeos que não conheci mas de tanto ouvir ela falar acabei conhecendo em minha imaginação. Ela nada me pediu pra trazer, tinha o marido, os pais e seus parentes que lhe traziam o que necessitava. Embora tivesse jeito de pessoa granfina, de narizinho em pé, no fundo deu pra perceber que é uma ser humana como nós, ou qualquer outro. A mãe dela tratava a Helena como filha, um carinho e cuidado indescritivel, demonstrando ser uma pessoa humana diferenciada e super sensível. Hoje, lá em Lorena, onde moram, deve estar todos felizes afinal de contas a Eleunilde teve alta e está juntinho a eles, principalmente ao lado dos 03 filhos - certamente o lugar onde deve sempre ficar. Nós, ainda continuamos por aqui, mas se Deus quiser, e sei que quer, a Helena vai se recuperar, dará tudo certo na cirurgia e voltará para a velha correria da vida - como sempre. Miguel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade pra comentar...